Publicidade

segunda-feira, 7 de abril de 2014 História, Política | 09:35

O aniversário do golpe e seus oportunismos: ditadura só durou dez anos, diz historiador

Compartilhe: Twitter

Os 50 anos do golpe militar, lembrados em 2014, abriram uma saudável frente de oportunidades para acadêmicos, jornalistas, editoras e, sobretudo, para leitores e leitoras de novas e antigas gerações. Da galeria de oportunidades, no entanto, aqui e ali podem ser identificados oportunismos fáceis. Um desses casos tem nome e obra: o historiador Marco Antonio Villa e seu livro Ditadura à brasileira: 1964-1985 – A democracia golpeada à esquerda e à direita (lançado este ano pela Leya).

Não é de hoje que o professor da Universidade Federal de São Carlos integra a equipe de “intelectuais públicos” celebrados por parte da imprensa brasileira. Invariavelmente ele está a postos para dar seus vaticínios antiesquerdistas, antigovernistas, antilulistas. É uma posição legítima, convém dizer. Mas com o incontrolável desejo de se mostrar um porta-voz qualificado para tal missão, Villa pareceu aos poucos abandonando certo rigor acadêmico, sua memória prodigiosa e sua erudição para dedicar-se à guerrilha midiática e à polêmica fácil.

Nada contra os polemistas, e quem já leu Manoel Bonfim e seus textos do início do século XX sabe a importância deles.  O risco é o modelo de polêmica carimbada a que Villa se dedica.

Esse tipo de predileção não resulta em coisa boa. Já o fez, por exemplo, defender em artigo a tese de que o Brasil enfrenta, com o PT, a mais séria crise da história de sua democracia (!). Devido à ausência de uma oposição eficaz e a previsão de mais quatro anos do partido no poder, Villa enxergou algum tempo atrás um desabono democrático mais grave do que o regime militar, o Estado Novo de Vargas e os golpes e tentativas de golpes encontrados na história do Brasil.

(Mais de duas décadas de eleições livres e idôneas, liberdade de expressão e associação, pluralidade de partidos e, nos últimos anos, redução de desigualdades econômicas parecem ser indicadores pouco relevantes para guerrilheiros midiáticos como Villa.)

ditaduraabrasileiraDitadura à brasileira sucede dois livros de Marco Antonio Villa: Década perdida: 10 anos do PT no poder  e Mensalão: o julgamento do maior caso de corrupção da história política brasileira. Embora trate de tema distinto dos dois anteriores – que venderam razoavelmente bem, diga-se – Ditadura à brasileira segue a mesma linhagem: o viés implacável de mostrar que ele é um respeitável antiesquerdista, e que a esquerda deve ser vista como criminosa de lesa-pátria.

Oficialmente, sua intenção poderia até ser das melhores: denunciar “falácias” que costumam impregnar as análises da história brasileira (e são muitas, sabemos), e romper o “círculo de ferro construído, ainda em 1964, pelos adversários da democracia, tanto à esquerda quanto à direita”.

Mas Villa parece exceder na dose.

O ponto mais impressionante do seu livro sobre a “ditadura à brasileira” talvez seja este: a tese de que o Brasil não teve 21 anos de ditadura no regime instalado em 1964. Apenas dez deles, sugere Villa, podem ser considerados uma ditadura, o período de vigência do Ato Institucional Nº 5 (de 13 de dezembro de 1968 a 31 de dezembro de 1978).

Seus argumentos não são desprezíveis: entre 1964 e 1968 o Congresso manteve-se aberto, assim como as assembleias legislativas e as câmaras de vereadores. Os executivos estaduais tiveram eleições e, na esfera dos municípios, excetuando-se as capitais e as cidades consideradas áreas de segurança nacional, ocorreu renovação sistemática dos prefeitos. Jornais que se colocaram no campo oposicionista denunciaram as mazelas do regime. A vida cultural brasileira produziu momentos memoráveis e críticos aos militares. O movimento estudantil ganhou relevância no mesmo período.

Os últimos seis anos do regime militar também não exibiram uma ditadura digna do nome: a Lei de Anistia e a consequente volta dos exilados ao Brasil; a vida em liberdade de Luiz Carlos Prestes, por exemplo; as eleições de 1982; e a campanha das diretas foram alguns do fatos que confirmam sua tese para o período 1979-1985. Nesse caso, ele tem razão. Mas não se pode dizer o mesmo em relação a 1964.

Uma ditadura temporária

O general Humberto de Alencar Castello Branco foi eleito pelo Congresso no dia 11 de abril, depois de um conciliábulo de governadores e generais. Prometeu “entregar, ao iniciar-se o ano de 1966, ao meu sucessor legitimamente eleito pelo povo em eleições livres, uma nação coesa”. Adiou para 1967, quando entregou uma nação dividida a um sucessor eleito por 295 pessoas.

O estrago da ditadura temporária de Castello Branco, porém, foi bem maior. Por meio da suspensão das garantias constitucionais o presidente valeu-se da prerrogativa de cassar mandatos eletivos, suspender os direitos políticos dos cidadãos e anular o direito à estabilidade dos funcionários públicos civis e militares.

Entre 1964 e 1966 cerca de 2 mil funcionários públicos foram demitidos ou aposentados compulsoriamente; 386 pessoas tiveram seus mandatos cassados e/ou viram-se com os direitos políticos suspensos por dez anos. Todos os partidos políticos existentes (incluindo sólidas legendas como PTB e PSD) foram extintos, em nome do bipartidarismo formado por Arena e MDB.

Nas Forças Armadas 421 oficiais foram punidos com a passagem compulsória para a reserva, transformando-se em mortos-vivos. Expurgaram-se 21 dos 91 generais.

Sete em cada dez confederações de trabalhadores e sindicatos com mais de 5 mil associados tiveram suas diretorias depostas.

Nos primeiros nove meses do regime morreram 20 brasileiros, número indiscutivelmente baixo nas estatísticas do golpismo latino-americano (Villa gosta de refutar comparações às ditaduras dos nossos vizinhos), porém médio para as quarteladas nacionais.

Passeata dos Cem Mil, na foto clássica de Evandro Teixeira

Passeata dos Cem Mil, na foto clássica de Evandro Teixeira

Houve crescente censura às atividades culturais. Basta lembrar que  a famosa Passeata dos Cem Mil, de junho de 1968 (uma das provas apontadas por Villa de que não vivia numa ditadura), era justamente a crescimento da censura às atividades culturais.

E a tortura. Sim, a tortura foi iniciada ainda em 1964. Pensemos, por exemplo, num de seus casos mais emblemáticos: Gregório Bezerra, líder camponês e comunista, já idoso e arrastado pelas ruas do Recife amarrado a um jipe no dia do golpe.

O fato é que os acontecimentos posteriores a 1968, quando o regime assumiu sua natureza explicitamente ditatorial, fizeram com que se desse pouca importância à natureza da violência aparecida em 1964 e à forma como ela foi enfrentada pelo governo Castello Branco. Como escreveu Elio Gaspari, ali esteve a gênese do fenômeno e, sobretudo, o surgimento de uma política de compromissos que arruinaria as instituições políticas e militares do País.

Nos anos 1970 assim denunciava o general Mourão Filho, um dos artífices do golpe de 64: “As torturas foram o molho dos inquéritos levados a efeito nos desvãos dos DOPS ou dos quartéis e toda a sociedade ficou dominada pelo medo, angústia e sofrimento. Esta onda terrível começou no governo Castello Branco, que, demasiadamente fraco, não conseguiu conter os militares”.

Quatro Atos Institucionais e nenhuma ditadura?

O AI-1 suspendeu por dez anos os direitos políticos de todos aqueles que poderiam ser considerados contrários ao regime. O ato abriu alas para ameaças de cassações, prisão, enquadramento como subversivos e expulsão do País.

O AI-2 mostrou a essência antidemocrática da moderação castelista: transferiu ao Congresso o poder de eleger o presidente e reabriu o ciclo punitivo extinto em 1964. Para a direita militar, era democracia com derrota eleitoral ou vitória sem democracia. Preferiu a segunda opção.

O AI-3 determinou como indireta a eleição de governadores e vice-governadores, executada por colégio eleitoral estadual. Prefeitos de capitais e das cidades de segurança nacional não seriam mais eleitos e sim indicados por nomeação pelos governadores.

Por fim, o AI-4 convocava o Congresso para votação e promulgação do projeto de Constituição, que revogaria definitivamente a Constituição de 1946.

Mas o historiador Marco Antonio Villa acha que a ditadura só começou mesmo com o AI-5, em dezembro de 1968.

 

Autor: Tags: , , , , , , , ,

62 comentários | Comentar

  1. 112 jayme barbosa de souza junior 07/04/2014 22:25

    infelizmente, dentro da história, sempre aparece alguem com o objetivo de distorcer os fatos para ficar em evidência, nesse caso, para publicar um livro. A ditadura durou vinte anos e ponto. Durante esses anos, o que ocorreu foi um endurecimento do processo. Desde quando derrubar o presidente eleito e , colocar militares é democracia?

  2. 111 ELINALDO 07/04/2014 21:39

    Eu vivi na época da ditadura ainda na adolescência mas me lembro bem de uma coisa, se você não se meter contra o governo, (querer virar herói), vai viver sua vida de boa, o pais crescia tínhamos boas escolas PUBLICAS, ótimos hospitais geridos pelo antigo INPS, na qual você era atendido apresentando sua carteira de trabalho, Resumindo você respeitava e consequentemente era respeitado, E SE ACONTECEU TUDO O QUE ACONTECEU ESTA AI O RESULTADO, hoje o que eu vejo é o seguinte, militantes ficando milionários com indenizações exorbitantes tirado do nosso IMPOSTO que foi recolhido sob muito protesto, e ninguém me consultou se eu sou a favor disso, vejo muita coisa errada feito com dinheiro que não tem origem (FAZER VAQUINHA PARA PAGAR MULTA DE PENA A ME FAÇA O FAVOR!!!!!), Hoje está cambada que governa esta ai fazendo a mesma coisa que fizeram no passado, e um cobre o rabo do outro, peço todo os dias que pisem bastante no calo dos militares para ver eles fazerem as mesmas coisa que fizeram no passado e quem sabe eles desta vez fazerem certo, pois estes dias eu não entendi só uma coisa por que a dona do cofre não quer punir mais os MILITARES com a revogação da ANISTIA , A ME FAÇAM O FAVOR E VÃO CATAR COQUINHO TODOS QUE ESTÃO AI DEFENDENDO ESTE POVINHO, eu quero ver a hora que a merda for jogada no ventilador se o povo vai ficar a favor do governo ou a favor dos MILITARES. A TENHAM DÓ!!!!

    • p/Elinaldo: PRISÃO PERPÉTUA PARA PARA POLÍTICO LADRÃO! 14/04/2014 14:53

      Concordo com você. Estamos nas mãos de quadrilhas de bandidos travestidos de políticos, bandidos de alta periculosidade, muito mais insensíveis do que os traficantes e assaltantes que trazem tanta intranquilidade à população.
      Os políticos bandidos ” Padrão Fifa” minam os cofres públicos de uma forma a abalar todas as atividades das quais as camadas menos favorecidas mais necessitam: Saúde, Educação, Saneamento Básico, Segurança Pública, Moradia, Alimentação, Aposentadoria etc, provocando a morte de milhares de brasileiros desassistidos nessas áreas básicas à sobrevivência!
      Isso sem falar no incentivo que a ladrãozada ” Padrão Fifa ” dá aos bandidos ” Padrão Pé de Chinelo ” a continuarem no crime, justificados pelo mau exemplo que vem de cima, exatamente de onde deveria vir o bom exemplo de cidadania, honestidade, integridade moral.
      A única solução para tanta falta de vergonha na cara da classe política, seria uma lei que punisse com pena de prisão perpétua todo político condenado por corrupção ou… a volta dos militares para colocar essas quadrilhas para correr novamente para Cuba, Venezuela ou para a PKP!

  3. 110 Antonio Barbosa 07/04/2014 20:37

    A revolução de 1964 nos livrou do comunismo e só. Do resto foram erros e bandalheiras de toda ordem, porque assim são todos os regimes de exceção. Não há tolerância, não há a contra-opinião, não há liberdade de forma alguma. Vide China, Cuba, Coréia do Norte e Russia. As esquerdas viúvas do Muro de Berlim ainda choram o fim da URSS, mas sonham que Putim a reconstrua. Doce ilusão, isto só seria possível com uma guerra nuclear. Deixar em paz o passado não parece uma opção para estes recalcados sonhadores com a ditadura do proletariado e vão, aqui e ali, tentando impor seus velhos a desgastados ídolos de barro, como Marx, Gramsci, Stalin e Lenin. Infelizmente a elite brasileira é burra e não escolarizou o povo quando pode, agora ele está sendo adestrado para servir de bucha de canhão para os comunas.

    • Robson Castro 07/04/2014 20:55

      “Concordo com vc…tanto é que nos livrou apenas dos comunistas, que agora estamos tendo que aturar toda corja podre da política brasileira, com sua cúpula de “antigos companheiros que pegaram em armas” contra a “horrível ditadura” da época, bando de salafrários que hoje conseguiram chegar ao poder pelo voto dos coitados do povo ignorante, mantidos pelos bolsas esmolas da vida e estão aonde estão hoje após terem sido julgados por seus crimes mais que atualizados, trazendo a tona o que a “horrível ditadura” não nos livrou de vez. E tem mais gente daquela época por aí, hein, que mais cedo ou mais tarde vão aprontar…
      Quem acha que eu estou falando asneira, vota neles pra ver este ano…!!!

  4. 109 Cleyder Silva Cevidanes 07/04/2014 20:32

    Todos os comentários dos internautas sobre a matéria tem sua importância e validade, ou seja, independente de afirmações de cunho de direita, esquerda e centro. A beleza da democracia está em cada um expor seu pensamento oriundo de leituras ou experiências da época da ditadura civil-militar. Sei que a democracia no Brasil é recheada de mazelas e incompleta em sua essência de ser. Porém permitem que espaços como esse existam e produzam história através do conflito de ideias.
    A minha tristeza, como professor de História em ajustamento funcional em Minas Gerais, é perceber em alguns comentários -acredito advirem de pessoas adultas- a mesma intolerância com o diferente, o distinto… tão marcante da nova geração!
    A sociedade brasileira atual necessita, urgentemente, de diálogo e entendimento! Os excessos, sejam de direita, esquerda ou centro, perdem a razão de existir quando cidadãos perdem os fundamentos básicos da existência humana, a começar pela dignidade!

  5. 108 Edivaldo Seixas 07/04/2014 19:00

    Quando pela primeira vez a Presidente faz um discurso correto, aceitando que ouve excesso de ambas as partes, pró revolução e anti revolução, e que o povo brasileiro não está nem aí para ideologias políticas, ela é criticada. A ditadura militar existiu e não deve ser esquecida, Mas pior que a ditadura é esta pseudo democracia. Ninguém pode ter opinião, pois pode ferir a A ou a B. Vejam o caso do Lobão.

  6. 107 antonio carlos barbosa bondim 07/04/2014 18:48

    Pra que questionar ou negar o passado? Discutimos apaixonadamente o passado como se fosse uma decisão de campeonato de futebol. Também acho besteira condenar governantes por fatos que já aconteceram há 50 anos. Julgamentos históricos são covardes pois são feitos sem levar em conta o contexto no qual as decisões foram tomadas. Vivíamos na década de 60 num mundo polarizado em plena era da Guerra fria. Esquerda x direita fazia sentido. O que não compreendo é por que, hoje, em pleno século XXI, continuamos com esta babaquice que não faz sentido algum. Passei ignorar a política e os políticos, porque não consigo raciocinar dentro deste contexto. Não sou de direita nem de esquerda, sequer consigo compreender o que esta merda significa. Tenho sentido nas pessoas uma repulsa muito grande pelo PT, exatamente pelo fato deste partido continuar vivendo como se estivéssemos em plena guerra fria. Não há socialismo em lugar algum deste planeta, assim como não existe Liberalismo. O mundo é outro. Esqueçamos a Ditadura, nossa e as demais. Que sirva o passado apenas de fonte de ensinamentos, pois repeti-lo não é possível. Joguemos na lata do lixo todos os “ismos” e enfrentemos com determinação as mazelas que nos rodeiam e nos sufocam, agora, para que não estejamos daqui a 50 anos lamentando as besteiras que estamos fazendo hoje.

    • Guilherme 07/04/2014 22:19

      Parabéns pela reflexão. Temos muitos problemas atuais para ficar valorizando o que não volta mais.

    • luiz carlos périco 07/04/2014 20:11

      sensacional este seu comentário, caro Antonio Carlos Barbosa Bondim. é necessário que saiamos todos da toca, enfrentemos nossas mazelas e entendamos de vez que seremos nós, na atualidade e nossos filhos no amanhã que teremos, veja bem, teremos, que resolver nossos problemas. infelizmente não acho que estejamos bem preparados para esta missão, mas temos um bom começo: uma Constituição Cidadã. Ah se nosso povo soubesse melhor o que trata nossa Constituição!!!! . Desculpe-me sugerir que se leia na pagina 02 do Estadão de hoje (07-04-14) 1964 – um testemunho (Fernão Lara Mesquita).
      Apesar de meus 60 anos, ainda acredito

  7. 106 ALEX MADEIRA 07/04/2014 18:22

    Rodrigo de Almeida realmente havia censura durante o governo militar, existia censura dentro das redações dos jornais. Mas hoje eu gostaria de saber o que realmente aconteceu na Petrobras, e como a imprensa mesmo fala, existe uma tropa de choque evitando que isso aconteça. Isso é censura para o povo brasileiro?

  8. 105 Josafá de Freitas 07/04/2014 18:18

    Acadêmico ANÊMICO! Segundo esse senhor, o HOLOCAUSTO NÃO DIZIMOU 6 MILHÕES DE JUDEUS, MAS APENAS 3 MILHÕES OS OUTROS 3 APENAS NÃO FORAM ENCONTRADOS.
    Afinal, ele é o famoso QUEM?

    • alexandre 07/04/2014 23:01

      Caro amigo,acho que você está errado. Democracia é respeitar a opinião dos outros. da outra parte. O que você não está fazendo. O que você está fazendo é típico de uma ditadura.
      O problema dos partidos de esquerda é que você tem que concordar com eles em tudo. Se não você é homofóbico, reacionário,antidemocrático e etc.
      leia um pouco mais.

  9. 104 Josafá de Freitas 07/04/2014 18:13

    Segundo essa ”sumidade” egocêntrica, o HOLOCAUSTO SÓ MATOU 3 MILHÕES DE JUDEUS, OS OUTROS 3 MILHÕES APENAS NÃO FORAM ENCONTRADOS.

  10. 103 junior paiva 07/04/2014 18:03

    Caro Colegas:a conjuntura da época era de opressão psico logica através da mídia em geral , so não se lembra quem era apadrinhado e mamava nas tetas dos governos corruptos, a cultura e educação era uma arma covarde de segregação social, os giglês tais como : Brasil ame-o ou deixe-o, repetidamente nos órgãos de imprensa que eram coniventes com os militares ,pois a maioria se beneficiavam das riquezas do Brasil ,em quanto a maioria viviam excluídos.Fazem estes saudosistas defenderem este regime , que inclusive implantou uma cultura de medo e censura :lembram dos anúncios da mídia da época que dizia:quem for pego apos tal hora na rua é considerado “comunista, e a ordem é: primeiro atira e depois pergunta quem é :outra “herança que foi deixada para as polícias, foi a forma de combate as guerrilhas que continuam a prevalecer nos Órgãos policiais principalmente militares até hoje”
    As novas gerações precisam conhecer a verdade , onde muitos Heróis anônimos foram mortos para defenderem o que conhecemos hoje como Democracia.

  11. 102 marcelo albuquerque 07/04/2014 17:49

    Nós desta geração teremos a oportunidade de ver o espírito democrático da esquerda quando democraticamente o PT for derrotado. Veremos se os comunistas nacionais vão querer largar o osso do poder. Aí sim veremos a quem servem as forças armadas, humilhadas e vilipendiadas.
    Hoje com os assassinatos de reputações, MST financiado para a destruição da produção, a patrulha ideológica e a tentativa de rever a história de forma tosca, tornando sem efeito a lei da anistia para os militares.
    A pior ditadura é a politica e econômica, queremos mesmo seguir o exemplo da Venezuela?

  12. 101 Fábio 07/04/2014 17:48

    Quem escreveu a matéria ? O José Dirceu ou o Genuíno?

  13. 100 Abigail cristina camilo zacharias 07/04/2014 17:13

    Diante dos fatos em si é muito facíl dizer que a ditadura durou 10 ou sabe-se lá quanto tempo se não passou por ela, isso é muito relativo para quem postou tais comentários pois se é sabido que abominaveis momentos não foi bom para ninguém que viveu naquela época.
    Nosso sistema é falho em todos os sentidos, dizer algo passa a ser obsoleto.

  14. 99 Plínio Passos 07/04/2014 17:09

    Não é o melhor governo mas não poderia ter sido melhor, mas parabéns Lula, o que você fez ninguém mais vai conseguir. E digo a todos que estão lendo, eleições a Dilma continua, não existe ninguém mais apto a governo do que ela, quem pode entrar pra presidência, Aécio ? Campos? Não dá ne! A verdade é que ão se dá pra fazer muita coisa com a politica nacional, mais eu vejo melhoras, depois que os mensaleiros do PT foram presos, senti que a mudança viria, agora o que vai me deixar feliz e ver os mensaleiros do PSDB serem presos, mais até abrir essa investigação tem chão…. O que mais quero ver é a CPI dos transporte publico de São Paulo…. Vixxxx ai tem merda de mais….

    • Mario Ribeiro 07/04/2014 19:22

      A Contnuidade do PT no governo, será bom para Cuba (Já fizeram um modernissimo Porto, la; quem sabe o que mais poderão fazer, né ?), Venezuela, Bolivia, e logico para todos os petralhas que se infiltram nos orgãos publicos, certo ? Nos estamos caminhando para uma ditadura do PT, e ditadura, é sempre ruim. O Brasil, ainda tem muitos analfabetos, e muita gente abaixo da linha da pobreza. é só andar pelas ruas de São Paulo ou Rio de Janeiro que voces poderão ver. Precisamos é de um país com gente mais honesta; ai sim, poderemos partir para o Progresso e almejar fazer parte do 1º mundo.

  15. 98 Plínio Passos 07/04/2014 17:00

    A realidade é que a tortura não acabou, apenas mudaram os instrumentos, o pau de arara, só mudou de nome, é claro que de dentro do seu carro com vidro fechado e ar-cond. ligado você não vai ver isso, da sacada do seu apê você não vai ver isso, meus querido pra quem ganha e mantem uma família com 700 reais, um auxilio de 30 ou 40 reais é o suficiente para comprar a mistura, mas você não vê isso!!!! A copa está ai, e os hospitais transbordando, o transporte um lixo, a educação uma merda, você que fala isso nem de ônibus anda, nem hosp publico você usa, escola particular para seus filhos, você acha que eu vou dar ouvido a esse discurso falho, o que acontece com a classe média brasileira é que ela acha uma merda ter perdido o privilégio do pobre também ter comprado um carro.

  16. 97 Plínio Passos 07/04/2014 16:50

    Bom acredito que muitos que comentam aqui nem sabe o que falam, de principio só ouvem e veem o que essa mídia hipócrita fala, posso lhes dizer que não existiu benefício nenhum com o golpe civil/militar de 64, para se ter noção mais de 70% da população nacional era a favor da reforma de base, agora vim falar que ouve benefício para tentar diminuir a barbárie que aquele governo criou é muita babaquice, ora companheiro, te desfavoreceram fizeram você pagar juros exorbitantes como inflação na década de 90, pra jornais como a folha de São Paulo triplicar o faturamento, e você ver benefício nisso, me poupe!!!

  17. 96 Plínio Passos 07/04/2014 16:26

    O no meio acadêmico principalmente os historiadores e pesquisadores da area não dão importância a o que o Villa fala, tanto que o mesmo não aparece nesses debates acadêmicos, pois infelizmente não tem esse prestigio.

  18. 95 Luiz Mattos 07/04/2014 16:07

    Estranho que todos comentam a respeito dos anos de ditadura militar como fossem os donos da verdade, naquela época eu vivi tranquilo, trabalhava, tinha liberdade de sair sem medo de bandidos, existia uma educação para as pessoas e respeito com todos.
    Nunca fui abordado por militares mas os que confrontavam com ideologias comunistas eram alienados de patriotismo e brasilidade, pois queriam o Brasil outra Cuba ou coisa pior.
    Fico pasmo quando ouço os pseudos donos da verdade tacharem os militares como os únicos culpados, pois esquecem os guerrilheiros, sequestradores e pessoas que tinham como ideal entregar o Brasil para o comunismo selvagem.
    Quando o brasileiro vai acordar para as intenções dos que estão no poder, alias, todos que foram exilados na época, tenho pena das futuras gerações.

    • Rodrigo Cunha 07/04/2014 18:46

      Olha Luiz, acho que o trajeto da sua vida, naquela época, foi o mesmo por muito tempo. Deve ter feito um buraco por onde passou, de tanto passar. Não olhava pros lados não? Só pro chão, pro próprio umbigo? Tenha santa paciência, as mazelas desse país existem desde quando foi colonizado, faça me um favor. Dizer que na época militar era mais seguro? Só se foi pra você, porque pra grande maioria a coisa só piorava. Não conhece o vexame do milagre econômico não? Lei sobre então, aí, talvez entenda porque estamos do jeito que estamos hoje, talvez compreenda os desdobramentos da bela política econômica militar que você viveu.

    • Gerson 07/04/2014 17:00

      Concordo, agora quem esta no poder é o dono da verdade, junto com a midia oportunista.

  19. 94 Cícero 07/04/2014 15:55

    Os comentaristas só falam em ditadura, em fome e diminuição da maioridade penal. O buraco é mais em baixo. Os EUA , país que adoramos tem uma população de 350 milhões de habitante e um PIB de 15 trilhões de dólares. É um país totalmente industrializado e grande exportador de produtos manufaturados. O Brasil que tanto odiamos, tem uma população de 200 milhões de habitantes, um PIB de 2,4 trilhões de dólares. E é um país com pouca industrialização e grande exportador de produtos primários. Então para podermos ser comparados aos EUA teríamos que ter um crescimento econômico acelerado; o que é praticamente impossível ou diminuir drasticamente a população, o que é possível .Fazendo uma regra de três teríamos que ter uma população de 56 milhões de habitantes.
    Aí acabaríamos com: Violência urbana, bolsa família, MST, salário mínimo, fator previdenciário, presídios superlotados, devastação das florestas, rios poluídos, trânsito engarrafado, ônibus lotados, falta de saneamento básico, assaltos, ensino público de baixa qualidade, saúde de baixa qualidade, ideologias de esquerda e de direita. Iríamos fazer inveja a Noruega. Eu tenho a fórmula mágica para que isto aconteça. Fazer um abaixo assinado para modificar a Lei 9.263 de 12 de Janeiro de 1996. Está lei praticamente inibe qualquer pessoa de baixa renda a limitar o nascimento de filhos.A classe média não precisa disso, porque pode pagar a cirurgia independente da idade. Veja o caso do deputado federal Asdrúbal Bentes que perdeu seu mandato por ter oferecido cirurgia de laqueadura em troca de votos. Se o estado, federal, estadual, ou municipal estivesse fazendo o seu papel no planejamento familiar estas pessoas não estariam trocando seus votos por favores. Os médicos dos órgãos de saúde tem verdadeiro pavor de fazer uma laqueadura ou vasectomia com medo de serem presos. Pensem nisso

    • Plínio Passos 07/04/2014 16:38

      Cícero essa ideia sua é um pouco reacionária não acha? De fato o Brasil não pode ser comparado com os EUA, mas a culpa disso não é do PT, muito menos da esquerda. Na própria ditadura militar ocorreram grandes empréstimos do governo brasileiro, que pegaram inclusive com o governos norte americano, ou seja, o que Vargas queria criar uma industria de base para a subsistência do Brasil, então o suicidaram, depois JK que tentou segurar a entrada da economia exterior, e depois criou-se a ideia de que iria haver uma revolução comunista, tudo babozeira que muitos acreditam até hoje, com isso conclui-se que os militares infelizmente começaram a vender o Brasil, e quem deu continuidade foi o FHC.
      Confesso que quando o Lula entrou para o governo ele iria diminuir, mais quem manda agora no território nacional não somos nós e sim o capital estrangeiro.

  20. 93 Leoncio B Portes 07/04/2014 15:54

    Não vou gastar dinheiro num livro cheio de imbecilidades. A verdade depende do ponto de vista de cada um, respeito o seu pensar, porém discordo em gênero número e grau. Numa sociedade dita democrática tem eleições livres e deve-se respeitar a vontade da maioria. O resto é choradeira…

    • Plínio Passos 07/04/2014 16:42

      Pude ver que você é coerente com a politica, olha o Villa só fala bobagem, quando o golpe foi dado, no mesmo dia ja ocorreram mortes para os que se opuseram a o governo que ali se instaurava, a realidade é que o Villa acha que a ditadura acabou quando ele parou de ser perseguido e torturado.

  21. 92 Franbeze 07/04/2014 15:35

    Dizer que a ditadura durou só 10 anos é o mesmo que dizer que a Terra tem só 6000 anos. Esse individuo tem realmente uma imaginação fértil como disse o Almino Afonso.

  22. 91 Freitas 07/04/2014 15:33

    Como é possível existir alguém que defenda um governo que torturou barbaramente cidadãos? Inacreditável ler comentários de saudosistas da ditadura. Nada no mundo justifica torturar um ser humano na frente de seu filho ainda criança (isso aconteceu na ditadura). Não sou petista, mas prefiro um governo corrupto que um que, além de corrupto, mata deliberadamente inocentes e reprime a liberdade.

  23. 90 Geraldo 07/04/2014 15:15

    Toda historia tem marco. Para está e a constituição de 67.

  24. 89 Marcio 07/04/2014 15:14

    Infelizmente não posso ficar calado com afirmação tão INGÊNUA (no mínimo)
    “… eleições livres e idôneas, …”
    Nossa Urna eletrônica é PROIBIDA em mais 5 países e foi RECUSADA em mais de 50. Empatamos com urnas FAJUTAS somente com CHINA e ÍNDIA, os dois maiores representantes da DEMOCRACIA na TERRA!!!! (Favor conhecer algo chamado IRONIA)
    “… liberdade de expressão e associação …”,
    ” Se eu me expressar contra o homossexualismo sou taxado de HOMOFÓBICO, se sou contra cotas sou BURGUÊS escravizador e se sou contra BOLSAS GOVERNO sou CLASSE MEDIA HIPÓCRITA e para cada um destes pensamentos LEIS e ATOS INCONSTITUCIONAIS foram criados. PL 122 quando aprovada vai me dar 4 anos de cadeia por pensar diferente, COTAS já perfazem 50% das vagas, índios, negros, deficientes, daqui a pouco gays e nossa constituição tem um artigo pétreo de que todos são iguais, mas estas leis são declarações publicas de que estes coitadinhos não são. Pra terminar de vez o MARCO ZERO da internet com seu artigo que deixa a cargo do governo decidir o que pode e o que não pode na internet. Com todas estas liberdades, quem precisa reclamar não é?
    “… pluralidade de partidos …” Sei, por isso das 5000 cidades do pais só tem PT ou PSDB, nada igual ao REGIME MILITAR com ARENA e MDB
    “… redução de desigualdades econômicas …” Se dar bolsa família para 14.000.000 de pessoas e reduzir os critérios de inclusão de pessoas em classe média então aplique este novo índice aos governos anteriores e repita que o governo atual faz melhor do que qualquer outro. Ate o governo HORROROSE de SARNEY teve uma distribuição de renda melhor.

    Enfim, quem quiser acreditar que temos tudo isso que este colunista afirma que tem e que foi menosprezado ou é INGÊNUO ou tá de SACANAGEM

  25. 88 Marcio Amaro 07/04/2014 14:45

    No aniversário do golpe, os oportunistas de sempre… Como esse Rodrigo de Almeida que se manifesta expondo o que aprendeu com professores politicamente orientados… Que tipo de jornalismo é esse que expressa tamanho juízo de valor. Criticam o autor do livro por, no entender deles, fazer exatamente o que fazem. Expor idéias pessoais. O tempo da lavagem cerebral já passou Rodrigo. Se não estás satisfeito com o contraditório, como normalmente ocorrem com as esquerdas que optam por partidos únicos, mude-se para Cuba, Venezuela, ou adote o corte de cabelo bacana do líder do socialismo livre e se mude para a Coréia (do norte, obviamente)…

    • Rodrigo Cunha 07/04/2014 18:36

      Marcio Amaro, respeito sua opinião, ponto de vista, expressão ou outro qualquer “nominho” que quiser dar ao que escreveu. Respeite aqueles que sofreram a ditadura; se você optou por ser um alienado, por não querer ler e entender a verdade histórica desse país, o problema é seu e só seu. Não vivi naquela época, mas respeito a memória dos que viveram e sofreram e tenho minha opinião e meu posicionamento. Aprendi com professores também, como o meu xará, o Rodrigo Almeida, e ainda bem que aprendi, que tive bons professores que me ensinaram e tiveram a coragem de ensinar a verdade e não omitiram. Me desculpa, mas desprezo seu comentário e todos que compartilham de sua visão distorcida, míope e conveniente da história.

  26. 87 Marco 07/04/2014 14:40

    Tinha 11 anos em 64, brincava na rua tranquilamente incluisive à noite, estudava no Liceu (público) que ninguém reclamava, não havia crime organizado, menor criminoso, depois nos anos 70 quando entrei no mercado de trabalho, nunca fiquei desempregado, me lembro de todo mundo curtindo muito a vida nessa época, nunca me proibiram de falar, pensar, andar, ler, vestir, nada, nunca fui proibido de nada pela “ditadura” Hoje já não tenho certeza se o que escrevo na internet não estará sendo vigiado

  27. 86 Rodrigo Cunha 07/04/2014 14:35

    Sem comentários. É inacreditável um “colega” pensar assim e apoiar torturador nesse país. Que ele tenha lá suas indiferenças políticas é uma coisa, mas, fazer coro com aqueles que proibiram a liberdade de expressão nesse país, que sequestraram e assassinaram arbitrariamente, que ocultaram (e ocultam até hoje) os corpos de suas vítimas, enfim, que foram algozes inescrupulosos. Tenho apenas um comentário, afinal, não dá pra perder tempo com “estoriador” assim, com “e”: RIDÍCULO! Ou talvez: RIDÍCULO VENDIDO!

  28. 85 Luiz 07/04/2014 14:31

    O pior é que tem gente que achar que precisa ter vivido na época para dizer que é o profundo conhecedor da época! Façam-me o favor! É a mesma coisa que , quem vive nos dias de hoje se achar bem informado por ler os jornalões e a Veja. É ser muito bitolado ou mau intencionado no mínimo! Independente das razões que levaram ao golpe (foi golpe sim, antes que venha alguém aqui chamar de revolução) e eu concordar ou não com elas, querer encobrir o que aconteceu, dizendo que aquilo não foi ditadura, ou querer comparar com nossos vizinhos para chamar o que ocorreu aqui de ditabranda é muito constrangedor para quem pensa minimamente! Como disse anteriormente, se numa discussão qualquer ela que seja um dos interlocutores perdem a cabeça e partem para a violência e pra pancadaria, esse sujeito automaticamente perdeu qualquer razão que tivesse e foi exatamente o que aconteceu à época. Idem a hoje, se a oposição não tem competência para conseguir tirar o Pt do governo, essa deveria rever seus atos e se recriar e não simplesmente querer tomar o poder à força! Quem tem a capacidade de vir aqui e escrever um monte de asneiras defendendo os militares como disse anteriormente não tem sequer a minima noção do que está falando, ou foi beneficiado de alguma forma com a ditadura. Alias esses “subversivos’ que morreram e lutaram pelo direito desse Dr e de alguns colegas que o apoiam a falar esse monte de abobrinhas! Aliás, falar até o papagaio fala!

    • geraldo 07/04/2014 18:48

      Esse intelectual parece-me que frequentou o curso na Faculdade “Patrici Lumumba”, pois não sabe diferenciar seguimentos de democracia de fato e de direito, Também não se descobriu, vez que no meu entender,hoje é que vivemos numa verdadeira ditadura. Onde só os militantes, amigos , protegidos e corruptos do Partido vivem acima da lei e a justiça não lhes alcança.

  29. 84 cunha 07/04/2014 14:25

    Sem muitas palavras. Sou professor de história e é lamentável um “colega” pensar assim, apoiando e fazendo coro com os torturadores desse país, com aqueles que proibiram o direito de expressão. Aliás, apenas um comentário (afinal não dá pra ficar perdendo tempo com “estoriador” assim): RIDÍCULO!

  30. 83 Jorge 07/04/2014 14:22

    Eu viví na época da ditadura. Entretanto, só me dei conta que estava em uma “ditadura”, quando ela acabou, quando se começou a falar sobre este assunto. A vida, para quem não era comunista e só se preocupava com seu trabalho, família, etc. era NORMAL. Naquela época, as manifestações de rua eram por eleições diretas e só. Hoje em dia, são por: educação, saúde, segurança, transporte, contra a corrupção, etc…. Tirem suas conclusões.

  31. 82 Bruno 07/04/2014 14:19

    Inveja… é um dos piores pecados. Talvez não seja só inveja, mas sabotagem tmabém. Quem dera se o Sr. Rodrigo de Almeida tivesse metade do talento, profissionalismo, empenho e honestidade do escritor Marco Villa. Hoje em dia é raro encontrar na mídia algum profissional não corrompido pelo Governo, o historiador Marco Villa resiste. Pena ele não possuir maior espaço para nos informar e apresentar a verdade cada vez mais.

  32. 81 Arnaldo 07/04/2014 14:17

    Penso que durante a chamada “ditadura” havia mais segurança, mais respeito, mais moral. Bandido tremia de medo da policia, o que vemos hoje? Nunca se ouviu falar tanto em corrupção como nestes dez anos de governo do PT, que grande corrupção houve no governo militar? Não digo que os militares tem que ocupar cargo politico, mas digo que eles tem que ter mais autonomia para instaurar a ordem neste meio podre que esta nossa politica hoje.

  33. 80 Paulo Brites 07/04/2014 13:55

    Quando vamos aprender, O SOCIALISMO MARXISTA NUNCA VAI DAR CERTO.

  34. 79 Sinceridade 100% 07/04/2014 13:48

    Obviamente um colunista qualquer de um blog chapa branca do PIG vai minimizar a ditadura e seus efeitos funestos sobre a nação. Seu doce um dia chega, cretino.

  35. 78 ROMUALDO 07/04/2014 13:46

    É triste aquele período, e ainda hoje o governo não quer rever a injustiça que cometeu as Praças da FAB, pelo ato de exceção da Portaria nº 1.104GM3/1964-1982.

  36. 77 Paulo Brites 07/04/2014 13:41

    Hoje em dia no Brasil, tornou-se politicamente incorreto questionar à esquerda que atuava nos idos de 64/85, quando algum profissional sério e preparado como é o caso do Prof VILLA, mostra o que queria a esquerda marxista no Brasil, logo aparece um tonto puxa saco para querer desmoralizar, por isso que muitos professores de história preferem não contrariar a verdade imposta ao país pela a mascarada esquerda e não espressam suas opiniões a respeito do que realmente aconteceu, PARABÉNS PROF VILLA.

  37. 76 jOÃO gABRIEL DE oSÓRIO bARBEDO mARQUES 07/04/2014 13:38

    A revolução de 64 instaurou uma ditadura, que durou na realidade apenas 10 anos, como dizem alguns. Já o Golpe Militar de Fidel Castro, comunista, aconteceu em 59 e dura até hoje e não se sabe quando vai acabar.
    Lá não se fez nem se faz qualquer tipo de consulta popular e sabemos que eleições nunca foram suspensas totalmente por aqui. Quando cheguei ao Rio governava o MDB. Houve excessos na ditadura brasileira, lamentamos, mas muito mais houve na ilha do Mar das Caraíbas e tem muitos esquecendo totalmente isto. É certo que para alguns, para caracterizar -se o crime de tortura há de a vítima ser de esquerda…
    Se a Revolução de 64 evitou a assunção ao poder do socialismo marxista, já não fez pouco.

    • lcgf 07/04/2014 15:24

      Um erro (de Cuba, URSS, China etc) não justifica o outro (ditadura no Brasil). Centenas de brasileiros inocentes foram torturados. Filhos viram seus pais sendo torturados por militares. Nada no mundo justifica esse crime. Seu comentário é ridículo. Tentar justificar a tortura é abominável.

  38. 75 Roberto 07/04/2014 13:34

    Prezado SR Jornalista R de Almeida Em função de uma excessiva timidez não envio comentários. Acontece, entretanto, que sou antigo leitor do Último Segundo, do Ig e tenho muitas saudades do tempo do Matinas Suzuki e seu Cartão Postal. Não devemos subestimar a importância da capacidade desencadeadora de informação do site. Não tenho a capacidade e, sobretudo, falta-me o poder de síntese para uma crítica, mas quero fazer um registro: A posição do autor desse livro é dúbia inócua e não construtiva. O comentário de “somente” 10 (não é erro de digitação dez) anos é uma lástima.

  39. 74 luiz ferreira 07/04/2014 13:25

    Sr. Geovane Barreto (Jeba)
    Gostei muito do seu comentário. Parabens.
    Só discordo do Sr. quando dis não a diminuição da idade para menores infrator. Sei muito bem o que é isso. Só quem já passou por esta situação é que sabe. Uma vez estava no Centro da cidade em Salvador BA, e um garoto de uns 10 anos ir em direção a uma senhora de mais ou menos 65 anos para rouba-la, e um Sr. pegou este citado garoto pela comisa. Sabe o que eu ouvir deste menino? ‘Não me bata que eu sei os meus direitos’. Caramba, tudo ben que a sociedade tambêm tem uma parcela de culpa, quando vota em alguns determinados políticos que não tem compromisso algum com a sociedade ( o povo de modo geral).Mais não somos o brigado a ouvir esta frase deste garoto.

  40. 73 Emerson 07/04/2014 13:19

    Esse blogueiro Rodrigo de Almeida deve ser mais um militonto do PT, ou mais um daqueles que não querem remar contra a maré e ter a coragem de dizer a verdade, que a ditadura militar foi na verdade uma “ditamole” e que ela nos salvou do comunismo. Obrigado militares! Obs.: só pra constar, estava entrando na adolescência no governo Geisel e portanto presenciei a tal ditadura.

  41. 72 Francisco Chagas 07/04/2014 13:18

    As Ditaduras não prestam, esse estoria de golpe de direita é uma mentira, o golpe era de esquerda, veja o país com esta hoje, 60 mil mortos por ano de violência, o partido mais corrupto da História, Mensalão, Lava Jato, Rosegate, Refinaria de Pasedena e Nansei (Japão), vice presidente do congresso Andre Vargas fazendo negocio com doleiros preso.
    A ditadura de esquerda pra mim começou em 1995 com FHC ou seja 19 anos de bandidos vermelhos. O Brasil esta Ferrado, ah divida interna e externa 3 Trilhões.

  42. 71 Silas 07/04/2014 13:11

    Alguém comentou aí que “a população vivia assustada e acuada”. Falácia pura. Somente aqueles que se insurgiram contra os detentores do poder na ocasião, seja com armas ou movimentos contrários que representavam ou induziam à subversão (subversivos) foram acuados e investigados. Se houve excessos , e houve, fazia parte do jogo. Não houve santos dos dois lados. O povão, os verdadeiros democratas, estavam com os militares que os entregou de volta as eleições livres e que tais.

  43. 70 jose marcos 07/04/2014 13:11

    A ditadura foi ruim? Para quem se meteu a ser herói contra o governo na época sim. Morria gente sim. E hoje? Morre mais gente nessa nossa falsa democracia vitimas de crimes de toda sorte do que na época da ditadura. O país hoje está uma bagunça. Não tem ordem. A bandidagem tomou conta, a juventude nas escolas não respeita ninguém e chega a agredir professores e funcionários e vivemos uma época dos mais altos indices de corrupção já registrados na história do Brasil. Tudo o que se fala contra a ditadura é uma grande demagogia mesmo porque só é analisado e questionado um lado. E o que fez a guerrilha brasileira, da qual participou ativamente nossa querida atual Presidente? Ninguém era santo. Entrou na guerra é para matar ou morrer. Corre o risco quem quer. Hoje para sair de carro de casa em sp é preciso pensar várias vezes e não dá para saber se a volta vai ser em segurança tamanho o nível de criminalidade. E isso é só um ponto. Mas há muita bagunça a ser arrumada.

    • antonio 07/04/2014 16:19

      Só que hoje quem mata não é o governo, bandido tem em todos países do mundo, a ditadura matou até índios e jornalista,só atrasou o desenvolvimento do pais, que começou a prosperar depois dos governos de FHC , Lula e agora um pouco mais lento com Dilma, sem essa época perdida da ditadura o pais estaria mais desenvolvido.

    • sergio 07/04/2014 15:19

      Não precisa se meter a Herói, bastava falar qualquer coisa contra os milicos, que você era denunciado, sempre vigiados lembro em casa falávamos baixinho para ninguém de fora ouvir com medo que imperava, e tinha corrupção sim, muito mais do tinha agora, a nossa divida impagável veio desta DITADURA só que a informação não circulava,era restrita, generais receberam malas de dinheiro e se eu não me engano o “Esquadrão da morte”( favor pesquisar) existia, onde aparecia corpos em nossos rios e represas e ninguém sabe ninguém viu…Se você não era filho ou parente de alguma autoridade, não tinha chance alguma, estava destinado a levar uma vida medíocre, sem perspectiva….só rico tinha carro.

  44. 69 ary 07/04/2014 13:06

    Gostaria de saber qual é a idade e o “background” do articulista, pois criticar algo que não viveu ou estudou a fundo me parece meio ridículo do ponto de vista acadêmico/científico. É claro que ele pode ter a opinião dele, mas convenhamos um jornalista versus um doutor em história… fico com quem tem mais competência. Críticas feitas por quem não aceita idéias contrárias as do articulista não são aceitas e portanto ele usa da sua coluna para destratar quem pensa diferente.
    É por isso que hoje em dia a imprensa está desacreditada. Bando de comprados que adoram defender o PT (a maioria)!

  45. 68 leo 07/04/2014 12:51

    Parabens prof Villa!
    contra fatos nao ha argumentos e o endurecimento do regime esta bem caracterizado no periodo ai-5 / abertura politica.
    ditadura em 64? faca-me rir… leiam os editoriais dos principais jornais do pais (globo, folha sp etc…) de 31 mar e inicio de abr de 64, p/ ver a exaltacao da imprensa e do povo brasileiro a revolucao de 64!
    o endurecimento foi natural resposta a turminha subversiva da dilma (roubo cofre ademar de barros, roubos a banco e os “justicamentos”).
    mas nao me iludo e tenho certeza que houve excessos e inocentes pereceram neste confronto, em ambos os lados.

  46. 67 Idauro 07/04/2014 12:41

    O IG é esquerdista, lulista e “dirceusista”. O jornalismo bom não é o isento?

  47. 66 Cronos 07/04/2014 12:34

    Os USA iriam permitir um estado comunista no BR ? 1964 ou a terceira guerra mundial ?

  48. 65 Felipe Conte 07/04/2014 12:30

    Artigo esclarecedor sobre o pensamento da direita no Brasil hoje, representado, em parte, pelo Sr. Marco Antonio Villa. Essa parcela da sociedade que não aceita a diminuição das desigualdades sociais no Brasil, a partir do governo Lula, o mais popular de nossa história. Essa parcela da sociedade que não engole o sucesso do governo de um ex-retirante e operário do ABC paulista, revelando o preconceito dos senhores da casa grande contra o povo da senzala. Reações com a do Sr. Villa foram comuns antes do Golpe Civil Midiático Militar de 64, é preciso combatê-las, pois apesar do contexto diferente, a direita udenista/golpista ainda é a mesma, aqueles que querem um Brasil sem povo.

    • César 08/04/2014 15:52

      Esse cara (Felipe Conte) está falando sério? Pois só um brincante fala tanta besteira.

    • antonio 07/04/2014 16:07

      Concordo Felipe, o Sr. Villa pareçe um antepetista pois só vê erros do partido, mas de outros partidos não diz nada, ou seja, ele é parcial.

  49. 64 Charles Benigno 07/04/2014 12:15

    Todo aquele que mostra o quanto seria ruim a ditadura da esquerda é desacreditado. Embora os fatos históricos mostrem isso, pseudo-intelectuais tentam esconder.
    Quanto ao PT e a crise de democracia, não diria que é o mais grave atentado da história do Brasil, mas diria que é o mais grave atentado na história recente do Brasil.
    O PT representa um retrocesso enorme, um perigo que não conseguimos dimensionar ainda, mas existe, é real. É a volta de ideias mostradas erradas há anos. Os fatos estão aí, estão registrados. Ignorar isso é uma desonestidade intelectual.

  50. 63 Renato 07/04/2014 12:06

    Diz o Senhor Alex Mendes:

    “É lamentável ver o IG dar tanta cobertura enviesada.”

    Essa é a nova forma de censura. Está proibido pensar diferente.

  51. 62 Haroldo Machado Homem 07/04/2014 12:04

    O Vila tem todo o direito de falar o que pensa. Quem não quiser ouvi-lo, ou lê-lo, mude de canal ou não compre o seu livro.

    Acompanho diariamente o Jornal da Cultura/SP. Pelo que pude notar sua ênfase contra a administração petista, ainda que feita com bases sólidas, é muito mais pujante do que quando se trata do PSDB. Nunca ví qualquer comentário seu sobre a roubalheira no Metrô de SP.

    Pelo que ouço daqui e dali ele já está sendo chamado de Marco Antonio Veja.

    Dizer que a ditadura só durou 10 anos é mesmo que dizer que um jogo de futebol só dura, mais ou menos, 60 minutos, que é o tempo em que a bola rola no gramado. Bola parada não conta, mas faz parte do jogo.

    É uma pena. Admiro sua competência e sua coragem mas não acho correto enxergar na História apenas os trechos que lhe interessam e que servem de base a sua tese

    • lcgf 07/04/2014 15:28

      Ter o direito de falar o que pensa é uma das liberdades que ninguém teve na ditadura.

  52. 61 Saulo 07/04/2014 11:47

    Quem viveu nesses 50 anos foi protagonista ou espectador da história, ou seja, “viu e viveu ao vivo e em cores” todos os fatos e boatos e sabe que o quê o jornalista e historiador Marco Antonio Villa escreveu em seu último livro (alias em todos ou outros também) é o mais fiel retrato, desapaixonado, do que realmente ocorreu. Quando os ressentimentos abrandarem, quando ocorrer o distanciamento necessário para se historiar o acorrido ver-se-a que ele está certo. Parabéns a ele pelo livro. É apenas uma nesga na verdade histórica que ainda se imporá.

  53. 60 Geovani Barreto (Jéba) 07/04/2014 11:03

    Por favor, colega (bem distante!) Villa, leia o texto a seguir que foi publicado em algumas revistas, jornais e sites, com muita atenção e reflita sobre as iguais intenções da ditadura, há 50 anos, e da redução da maioridade penal, hoje.
    Até mais, Prof. Geovani Barreto (Jéba) – jornalista e historiador.

    O que você acha que está por detrás da proposta de Redução da Maioridade Penal?
    Por quê existe uma campanha declarada de alguns veículos de comunicação a favor deste tema?
    Quais os grupos políticos, econômicos e até religiosos que estão defendendo este projeto?
    Qual objetivo maior que está “mascarado” em diferentes governantes para investirem tanto em “segurança” e bem pouco em educação, saúde e transporte de qualidade?
    Gostaria de fazer uma pequena, porém importante reflexão histórica.
    Em 31 de março de 1964, ou seja, a exatos cinquenta anos, iniciava-se um dos capítulos mais terríveis da história brasileira: o Golpe Civil Militar. Golpe, porque quem assumiu o poder a partir daquele dia, não foi legitimamente eleito pelo povo. Civil, porque muitos recursos financeiros vindos dos mais diferentes setores da sociedade, abasteceram os cofres e as indústrias de fabricação de armas na ditadura. Militar, porque o exército (força nacional), em conjunto com variadas corporações militares estaduais, passam a ditar as regras e indicar seus governadores e presidentes “biônicos”. Tudo isso, com um argumento de estabelecer a ordem na sociedade brasileira com intenção do tal progresso que viria com o novo regime dominante. A população, somente assustada no início, passa a ser perseguida, enquadrada, calada e atropelada pelos governantes.
    Este episódio traumático fez vítimas e mais vítimas porque era mais rápido e prático assumir o poder desta maneira do que pensar em, por exemplo, fazer a reforma agrária (divisão igualitária das terras produtivas para as pessoas que não dispõem de nenhum recurso), ou ainda, acabar com a desigualdade social exterminando o capitalismo (sistema que beneficia dois porcento da população do planeta e prejudica todos os demais noventa e oito porcento). E foi assim, tudo pela estética (aparência externa, visual, temporária) e nada pela ética (aparência interna, bem comum, duradoura), visando a tal segurança nacional que este momento sombrio durou cerca de vinte e um anos.
    Agora, para quem não percebeu ainda, o mesmo grupo obscuro e pronto para arrumar uma solução rápida para um problema histórico e traumático, se organiza nos diferentes poderes brasileiros para empurrar de “guela abaixo” a proposta de redução da maioridade penal. O discurso, apesar dos 50 anos que se passaram, é idêntico ao dos ditadores daquela época que queriam a moralização e a segurança estabelecida. O que me entristece é que até importantes e experientes forças políticas, colegas jornalistas e professores (eram na época crianças, adolescentes ou jovens perseguidos ou que tiveram parentes e amigos desaparecidos!) estão “comprando” ou “já compraram” este discurso que faz perdermos o foco principal da “loucura” do dia a dia de nossa sociedade atual para nos preocuparmos com as vítimas deste sistema, crianças, adolescentes e jovens colocadas como as vilãs neste cenário. Infelizmente, ninguém denuncia, por exemplo, que a porcentagem de crimes cometidos por crianças, adolescentes ou jovens não chega nem a um porcento se comparados pelos crimes praticados por adultas e adultos todos os dias por toda parte do mundo. Crimes hediondos e silenciosos. Crimes contra a humanidade.
    Há alguns dias, assisti um programa onde dois profissionais, um psiquiatra brasileiro e um filósofo francês debatiam sobre diferentes assuntos, porém concordavam em algo surpreendente. Tanto um quanto outro afirmaram que todos adultos são neuróticos ou psicóticos. De acordo com os debatedores, neuróticos são aqueles que constróem castelos (ideias, objetivos, planos!) e quando estes são destruídos, passam a construir novos castelos em suas mentes para concretizá-los. Já os psicóticos são aqueles que moram dentro dos castelos construídos pelos neuróticos (porque se sentem mais seguros quando perseguem e acreditam em ideias, objetivos, planos de alguém!). Pense bem: você está sendo neurótico ou psicótico? E mais… você está influenciando alguma criança, adolescente ou jovem ao seu redor para o bem ou para o mal?
    Para finalizar, gostaria que refletíssemos sobre as informações oficiais a seguir:
    Você sabia que segundo dados da ONU (Organização das Nações Unidas), aproximadamente 925 milhões de pessoas no mundo não comem o suficiente para serem consideradas saudáveis, ou seja, isso significa que uma em cada sete pessoas no planeta vai para a cama com fome todas as noites. Ainda segundo a ONU, a fome é o número um na lista dos 10 maiores riscos para a saúde. Ela mata mais pessoas anualmente do que AIDS, malária e tuberculose juntas, mas ninguém fala disso. E mais, a entidade informa ainda que um terço das mortes entre crianças menores de cinco anos de idade nos países em desenvolvimento estão ligadas à desnutrição. As regiões carentes do Brasil estão incluídas neste item. A ONU alerta também que custa apenas 25 centavos de dólar por dia alimentar uma criança com todas as vitaminas e os nutrientes de que ela precisa para crescer saudável.
    Em 2050, de acordo com previsão da ONU, as alterações climáticas e os padrões climáticos irregulares levarão mais de 24 milhões de crianças à fome e isso porque a fome é o único grande problema solucionável que o mundo enfrenta hoje. Solucionável porque somados os enormes lucros das gigantescas corporações privadas e públicas, se divididos entre a população do planeta, encerraria a fome em todos os lares.
    E aí? A responsabilidade também é sua. Diga não à redução da maioridade penal e identifique, de uma vez por todas, os verdadeiros e grandes culpados de toda esta violência: os adultos.
    São os adultos que são corrompidos. São os adultos que fazem guerras. São os adultos que servem de exemplo para crianças, adolescentes e jovens. E, finalmente, somos nós, adultos, que tornamos o mundo pior.

    • marcelo albuquerque 07/04/2014 18:08

      Nobre jornalista, com respeito e reverencia acato sua opinião como válida, porém tenho que chamar a atenção para situação vexatória que se encontra o sistema de justiça nacional. Hoje uma pessoa com menos de 18 anos pode tudo sem nada temer, logo, como é de seu conhecimento, estamos entrando na vertente antropológica onde na ausência de limites a convivência social é impossível e a barbárie se aproxima a passos largos. Onde não há confiança no sistema de justiça, o código de Hamurábi entra em cena quase que imediatamente.
      Em minha modesta opinião a responsabilização pelos atos cometidos por menores de idade de acordo com o Código penal vigente mais protegerá os jovens do que a operação avestruz em andamento nos meios intelectuais e políticos do Brasil.

    • Ricardo 07/04/2014 15:20

      essa é uma discussão interessante, um blogueiro “pseudo-idealista que não viveu na ditadura e é que conta um professor renomado de história, investe um tempo para fazer propaganda do professor Villa. Sim publicidade do livro, pois criticas infundadas só servem de publicidade, muito me admira os comentários, pois insurgentes ou não ao regime militarista no Brasil, hoje vivemos em uma “democracia”, onde governantes, criam artifícios para burlar o sistema, pois o nosso País tem uma politica social de criação de VAGABUNDOS, e isso não falo somente dos partidos de “centro-esquerda”, pois o PSDB acabou com a educação de São Paulo o criar a Educação Progressiva, com a eliminação das reprovações escolares.
      Respondendo ao Sr Jéba, tem que se baixar a idade penal sim, pois criminoso é criminoso, tem que acabar com a imunidade política nesse País, e deixar na miséria o Servidor Público e sua família que lesarem o Estado, pois a família sempre é conivente ou omissa a criminalidade. Na situação que esta o Brasil, tem que construir mais Escolas e Cadeias, onde tem que confinar esses VAGABUNDOS, fazendo quebrar pedra o dia inteiro se quiser comer, ter roupas limpas, colchão e ajudar sua família e o principal ACABAR DE UMA VEZ POR TODAS COM ESSES BANDIDOS DOS DIREITOS HUMANOS, QUE CHORAM POR ANIMAIS ABARROADOS POR POLICIAIS E NÃO SE HUMANIZAM PELAS MILHARES DE FAMÍLIAS QUE ESSES FILHOS SEM MÃE DESTROÇAM E SAEM IMPUNES.
      Fico indignado que um país onde o “JEITINHO” é orgulho público e colocamos um vagabundo que no auge de sua vida produtiva, amputou um dedo mindinho para e aposentar e viver de sindicalismo, achamos o máximo esse mesmo senhor, estuprar nossa terra e famílias com sua quadrilha e reelegermos para não perdermos “Bolsa-alguma coisa”, reelegemos um Senhor que “NÃO SABE E NÃO VIU”, o que acontecia no gabinete ao lado do seu, com pessoas de sua confiança, mas o melhor sempre é no final Elegemos sua sucessora, a primeira mulher presidente de nosso País, uma ladra condenada, uma assassina guerrilheira, com mais intelecto que seu antecessor, um pessoa ardilosa, que assim como seu antecessor, diz assinar documentos sem saber do que eles realmente tratam e o Povo que é IDIOTA acredita para não perder mais um benefício do governo.
      Não vivi a Ditadura, vido em um País usurpado por Ladrões e Corruptos que estão no poder desde a ditadura.
      Como disse, sou a favor de reduzir a maior idade penal, assim como sou a favor de mais escolas de qualidade, de reprovas de alunos, de cadeia para bandidos trabalharem, de urnas eletrônicas de 4 geração e nãos as obsoletas que temos no país, onde tem um sistema falho e de fácil alteração, sou a favor de politicas sócias que integrem o cidadão e não os torne vagabundos cheio de filhos para poder ganhar R$20,00 do governo, sou a favor de mandatos de 05 anos sem reeleição e que seja feita a eleição em anos onde não hajam o Circo de Copa do Mundo de Futebol ou Olimpíadas de Verão, sou a favor de que o político de qual cargo for não receba mais do que 3 Salários mínimos como soldo e que o reajuste seja taxado conforme o salario da população e sem direito a hora extra como é feito em votações de interesse deles que ocorrem as 3 da madrugada quando poderiam ter feito durante o expediente em que se ausentaram do pplenário, sou a favor de hospitais de qualidade e planos de saúde justos, sou a favor de valores reais dos Bens e Patrimônios Nacionais, onde pagamos mais caro em combustível, telefonia, veículos, alimentação em produtos feitos no Brasil, do que se consumirmos nossos produtos em países do mundo afora, sou a favor de reforma social desde que o beneficiário não seja coagido por bandidos, se torna um bandido com algum “jeitinho” ou que ele venda ou entregue o patrimônio conquistado para ser anarquista como muitos integrantes de Movimentos “pseudo-ruralistas” fazem, sou a favor de um imposto único, para que seja mais difícil de roubar da população e sou a favor de uma reforma politica, constitucional, legislativa e jurídica, que os Bandidos do Congresso protelam nos fazendo de palhaço.

      Enfim… sou a favor do meu País, pois eu que sempre tive orgulho de ser Brasileio, sempre tive amor a nossa Bandeira, me sinto envergonhado de viver nesse País e de ver oque ele esta se tornando.

      Gostem ou não, não me importo, mas precisava expor oque sinto.

    • José Eduardo de Barros Zampieri 07/04/2014 14:24

      Foram vários os motivos que culminaram com o golpe de 64(revolução para alguns),principalmente o imobilismo do governo federal frente aos problemas econômicos crônicos que o Brasil passava, além da tônica mundial do comunismo, cujas idéias de tomada de poder por meio da força lograram êxito em Cuba(1959, com o imortal Fidel Castro e seu assecla Ernesto Guevara)e prosperavam em nosso país com insurreições diversas inclusive nos meios militares(revolta de marinheiros, por exemplo, fomentadas por forças governamentais).

      Segue algumas realizações dos governos militares, que penso devam ser citadas:

      Os governos militares construíram uma série de estradas e duplicaram outras tantas como a Dutra(maior rodovia do país) que até então era pista simples;

      Construiram a ponte Rio Niterói, ícone da engenharia na época; que acabou com um trânsito marítimo injustificado na baía de Guanabara que atrapalhava o porto do Rio;

      Nos tornamos o segundo maior país construtor de navios;

      Criaram o Proálcool, e a Petrobrás passou de 75 mil barris, à produção de 750 mil barris( dez vezes mais);

      Foram criadas as usinas hidrelétricas de Jupiá, Ilha Solteira, Tucuruí e Itaipú, que até há pouco tempo atrás era a maior do mundo, retirando o “jantar à luz de velas” de mais de 50% do domicílios no Brasil e propiciando a atual pujança da indústria brasileira, pois desde àquela época, não mais ocorreram investimentos de porte na área energética; ainda construíram as usinas atômicas tão criticadas, mas que nos possibilitaram além de energia limpa, o domínio estratégico de todas as etapas de manuseio, inclusive do enriquecimento desse importante componente energético e bélico.

      Criaram a Embraer, a terceira maior fabricante de aviões do mundo;

      Criaram o FGTS(que foi apresentado em sala de aula como algo funesto), o PIS e o PASEP, contudo creio que os trabalhadores pensam serem úteis;

      Criaram o Mobral, que retirou da escuridão do analfabetismo milhões de brasileiros e o Funrural que trouxe novo alento à seguridade social ao homem do campo;

      Criaram 13 milhões de empregos(imagine o que isso significa em uma população de 90 milhões de brasileiros, à época), desta forma todos tinham renda e podiam consumir, a classe média cresceu e ocorreu uma explosão de consumo, principalmente de geladeiras e televisores;

      Dessa forma, economia nos governos militares foi extremamente próspera, o Brasil saltou de 45º economia do mundo para 8º economia e passou a ser conhecido no mundo( Se o Brasil não podia crescer 11,2 % na década de 70, por falta de infraestrutura, como não criticar o crescimento de 8,2 % no período JK, em que a estrutura era mais rudimentar ?);

      No governo militar realmente ocorreu uma restrição às liberdades civis de uma forma geral, principalmente por meio do AI 5, no governo Costa e Silva, e ocorreram excessos, mas quem trabalhava e estudava não tinha qualquer problema.

      Os militares não são contra a democracia, foram contra a baderna que se instalava no país à época, promovidas por pessoas que em nada comungavam com o voto livre e a democracia e sim buscavam a tomada de poder por meio da força e tornar o nosso país uma grande Cuba; infelizmente envolveram estudantes, que pela efervescência da idade, tornaram-se figuras úteis a seus ideais, como dito, nada democráticos.

      Tais pessoas promoveram assaltos a bancos, seqüestros de diplomatas, assassinatos e atentados à bomba de toda ordem e, por incrível que possa parecer, se vangloriam nos dias de hoje de tais atitudes.

      Atualmente, temos vários representantes dessa casta que buscava o poder de forma heterodoxa, enraizados na política e transformando nossa nação talvez na mais corrupta do mundo; o voto, que deveria ser opcional, aqui é obrigatório, justamente para conduzir o povo para votar naquele que compra a sua participação; temos o voto de liderança, onde o político que nós votamos sequer opina sobre algumas matérias, nas câmaras, seja ela estadual, federal ou municipal, só se vota matérias de interesse do executivo(porque será?); ah, mas sempre há a possibilidade de se mudar o voto na próxima eleição! Ora isso é impossível, pois o voto dos nossos políticos é secreto! Isto nos impossibilita saber qual foi o seu voto e não há como avaliá-lo.

      Sinceramente é para se acreditar que efetivamente vivemos em uma democracia?

      Verdadeiramente, uma democracia não se faz com a possibilidade de se xingar o presidente, governador ou prefeito; se faz com respeito, ética, ordem, saúde, educação e segurança para todos, e que infelizmente não possuímos nos dias de hoje, mesmo após 20 anos de governo civil.

    • Primo José Martins 07/04/2014 11:38

      Meu amigo Geovani Barreto, apesar de não conhece-lo pessoalmente, permita-me trata-lo assim. Gostaria eu de ter o conhecimento que você tem e de ser capaz de escrever um texto repletos de verdades e tão esclarecedor quanto este. Parabéns.

    • Horacio Campos 07/04/2014 11:32

      O seu comentário não condiz com a verdadeira História, tenho quase certeza que vc não vivei nem de perto aquela época ou se viveu, teve algum tipo de amnésia “IDEOLÓGICA”.
      Quanto a menor idade, acho que vc criou uma conspiração “FANTASIOSA”, esqueça um pouco o seu Lado Esquerdista e bitolado, e pare um pouco pra pensar…foi por conta de “PENSAMENTOS” como o seu, que a Alemanha causou a 2ª Guerra Mundial.

  54. 59 Paulo Cesar Cordova Borges 07/04/2014 10:53

    Considerando as posições do Villa como fascistas, como qualificar as suas, comunista engajado???!!! Eu, cidadão comum, vivi aquela época, você viveu? Estás lendo pela cartilha dos esquerdistas, só isto.

  55. 58 elvis gimenes 07/04/2014 10:42

    caramba, o cara é mais nazista que Hitler. O que é uma ditadura para o gajo? Como dizia Mao – o papel aceita desde o mais belo poema a mais imbecil das idéias.

  56. 57 Teo Ponciano 07/04/2014 10:38

    Se este livro fosse o seu TCC ele seria reprovado.

  57. 56 ANGELO PORTO 07/04/2014 10:35

    Continua sendo o historiador mais honesto da atualidade.

  58. 55 ANGELO PORTO 07/04/2014 10:31

    O Villa é o historiador mais honesto da atualidade.

  59. 54 Wladi 07/04/2014 10:29

    Se analisarmos o contexto internacional e sulamericano nem houve ditadura. Cumprimos sim as orientações norte-americanas e concordo que o período sangrento durou apenas dez anos e foi muito mais brando que nos países vizinhos. Na realidade tem muita gente a fim do Bolsa-Ditadura.

  60. 53 Alex Mendes 07/04/2014 10:19

    Caro Rodrigo,

    M A Villa é um pseudo-historiador, pois coloca seus pontos de vista pessoais, que beiram o neofascismo, ante a verdade histórica.

    Esse cara não tem credibilidade. Fala para um pequeno público saudoso0 da tortura.

    É lamentável ver o IG dar tanta cobertura enviesada.

  61. 52 Alex Mendes 07/04/2014 10:13

    MA Villa não tem credibilidade. Fala para um a plateia específica de torturadores e apoiadores da tortura.
    Esse Villa é um falastrão. Da segurança do emprego público tece asneiras e é apoiada por neonazistas e neofascistas.
    Não vou nem perder tempo lendo a matéria .

    • Leoncio b Portes 07/04/2014 11:01

      Esse Villa não tem nenhuma credibilidade, só fala asneira ao defender torturadores mostra exatamente de que lado está. Pura perda de tempo ler oque esse safado escreve.

      • César 08/04/2014 16:43

        Falar que o historiador Villa não tem nenhuma credibilidade é no mínimo uma brincadeira de mau gosto.

  62. 51 José 07/04/2014 10:08

    O PT está acabando com o Brasil, contudo o STF tem dado grande colaboração na corrosão do país, pois não pode, em termos de política e sustentabilidade de poder, existir no país um desconfiança tão grande em relação ao STF, como ocorre no Brasil de hoje.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.