Publicidade

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015 Política | 08:55

Dilma enfrentará novo Congresso mais conservador, base dispersa e ressentimentos na Câmara

Compartilhe: Twitter

O verão está quente no Planalto, mas o início da nova legislatura com um novo Congresso empossado e a eleição do desafeto Eduardo Cunha (PMDB-RJ) como presidente da Câmara neste domingo prometem estender as dificuldades do calor sufocante enfrentado pela presidente Dilma Rousseff no início do segundo mandato. As previsões são desabonadoras: o inferno astral de janeiro de Dilma parece ter sido apenas uma degustação do que virá por aí.

Além das dúvidas sobre o sistema elétrico e do abastecimento de água, do escândalo da Petrobras, da promessa de mais aperto na economia, dos cofres vazios e das críticas internas ao seu ministro da Fazenda, Dilma deverá enfrentar os efeitos colaterais da humilhante derrota na presidência da Câmara, quando mobilizou ministros para eleger o petista Arlindo Chinaglia, viu o candidato apoiado pelo governo derrotado ainda no primeiro turno, com traição aberta de aliados e, cereja do bolo, o PT perder presença na Mesa Diretora da Casa. Nem o mais pessimista dos governistas esperava por essa.

A articulação do governo, comandada pelo ministro Aloizio Mercadante, ainda tentou um acordo de última hora com o peemedebista Eduardo Cunha – que deu um passa fora. O Planalto ainda tem poder, é claro, entre a força das emendas parlamentares, cargos e o peso de uma maior bancada. Mas tudo vai sair mais caro – e arriscado. Sobretudo por se estar diante de um Congresso amuado pela falta de diálogo com a presidenta (leia-se: pouco atendido, no bom e no mau sentido) e com um presidente da Câmara irritado com a campanha violenta contra sua candidatura.

Eduardo Cunha comemora eleição à presidência da Câmara dos Deputados, neste domingo (1º)

Eduardo Cunha comemora eleição à presidência da Câmara dos Deputados, neste domingo (1º)

Complica o jogo o fato de Eduardo Cunha dirigir-se por movimentos determinados por motivações variáveis que não costumam ser claras, como sugere à coluna um experiente analista conhecedor dos passos do deputado fluminense – para quem o novo presidente da Casa, no entanto, não deve agir de maneira carbonária. Saberá mandar os recados certos nas horas certas, pressionando o Planalto antes de qualquer medida ou ação contrária aos interesses do governo. Ações intimidatórias sempre, mas todas sujeitas a limites e negociações.

Se este fosse o único problema em formação no horizonte as previsões não seriam tão sombrias. Conforme relatório do Núcleo de Estudos sobre o Congresso (Nucon) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), um dos maiores centros de excelência no assunto, o segundo mandato de Dilma enfrentará ainda maior dificuldade de obter os 3/5 necessários para aprovar emendas constitucionais. Em outras palavras, precisará contar com indisciplina da oposição para aprovar reformas e políticas que exijam mudanças na Constituição.

Bancada majoritária, mas fragmentada

Dilma tem a seu favor uma coalizão numericamente majoritária, suficiente para aprovação da chamada legislação ordinária e medidas provisórias – desde que se mantenha disciplinada. E aí está o perigo. São 329 parlamentares da base de apoio ao governo, contra 181 da oposição ( e 3 neutros). Trata-se de uma base fracionada, pulverizada entre 10 partidos, assim divididos:

PT – 65
PMDB – 65
PP – 39
PSD – 37
PR – 33
PTB – 25
PRB – 20
PDT – 20
PCdoB – 13
PROS – 12

Pelos números acima, vê-se o quanto o governo precisa do PMDB do vice-presidente da República, Michel Temer, e do novo presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Como avaliou o jornalista Kennedy Alencar, parceiro do iG, foi um erro de avaliação tentar isolar o principal aliado: “Uma coisa é reforçar outras legendas, como o Pros e o PSD, para diminuir a dependência em relação ao PMDB no equilíbrio de forças em votações”, escreveu Alencar. “Outra coisa é comprar uma briga direta contra o principal aliado do governo”.

Estratégia, diga-se, contra a qual o ex-presidente Lula foi radicalmente contra. Não foi ouvido.

No Senado, apesar da vitória do aliado Renan Calheiros (PMDB-AL), o resultado mostrou um fortalecimento da oposição, e a chegada de fortes nomes, como José Serra, Antonio Anastasia e Tasso Jereissati, reafirma também que a vida do governo não será tranquila. Nem quantitativa, nem qualitativamente.

Os senadores estão divididos entre 56 governistas e 25 oposicionistas. Do lado do governo estão:

PMDB – 19
PT – 13
PDT – 6
PP – 5
PSD – 4
PR – 3
PTB –  3
PCdoB – 1
PROS – 1
PRB – 1

Os tucanos (10) têm o maior número de senadores da oposição, seguidos por PSB (6) e DEM (5).

Leia mais: 
Eduardo Cunha recebe 267 votos e é eleito presidente da Câmara dos Deputados

“Cunha mostrou maior capacidade de articulação”, diz ministro do governo

Blog do Kennedy: Eduardo Cunha deve vitória a Dilma


Perfil do Congresso

O Congresso empossado neste domingo é pulverizado partidariamente – são 38 partidos. Reforça a tendência de crescimento na fragmentação do sistema partidário brasileiro: exibe um dos mais altos valores do mundo, ainda segundo o NECON/Uerj. Há na ciência política um índice chamado “fracionalização”, que mede o grau de dispersão das cadeiras de um legislativo por partido político. No fundo, o índice mede o tamanho da dispersão do voto do eleitor entre os partidos.

Esse índice varia de zero, quando um único partido ocupa todas as cadeiras, até 1, quando cada cadeira é ocupada por representante de um partido diferente.

Segundo o cálculo dos pesquisadores do núcleo, o índice de fracionalização na Câmara brasileira a marca de 0,924, que representa a probabilidade de escolher ao acaso dois deputados federais de partidos distintos.

Além de fragmentado, o Congresso é liberal economicamente, conservador socialmente, atrasado do ponto de vista dos direitos humanos e temerário em questões ambientais, conforme conclui a 6a edição do estudo Radiografia do Novo Congresso, publicação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), divulgado no sábado.

Na conclusão do Diap, apesar de ter havido uma renovação de 46,78% da Câmara e 81,48% em relação às vagas em disputas no Senado, o que ocorreu, no fundo, foi uma circulação ou mudança de postos no poder.

Também houve perda expressiva da bancada que defende trabalhadores (83 integrantes na legislatura anterior, contra 59 na empossada neste domingo). Por outro lado, cresceu a bancada empresarial que, segundo o Diap, tem maior resistência a programas sociais, políticas de cotas e menor regulação econômica.

Além disso, a reeleição e eleição de mais de uma centena de parlamentares integrantes de bancadas religiosas, de segurança ou eleitos com base na defesa de pautas “retrógradas” deve levar a um maior atraso na agenda dos direitos humanos.

 

Autor: Tags: , , , , ,

36 comentários | Comentar

  1. 86 Roberval Freire 02/02/2015 9:26

    Deste Congresso não se pode esperar nada – o jeito é o povo nas ruas

  2. 85 Ricardo 02/02/2015 9:37

    fora Dilma e que mexer com os Trabalhadores.

  3. 84 JOSUEL 02/02/2015 9:49

    OQ SIGNIFICA ISSO PARA O BEM ESTAR DO POVO. TA NA HORA DE SE PREOCUPAREM REALMENTE COM O BEM ESTAR DO POVO BRASILEIRO E NÃO COM BENEFICIOS PROPRIOS CHEGA DE POLITICAGEM BAIXA E CORRUPÇÃO,

  4. 83 Madalena Maria Caetano 02/02/2015 9:51

    Acho que o congresso não vai conseguir nada.A FORÇA MAIOR ESTA NO POVO NA RUA.

  5. 82 nina 02/02/2015 9:54

    Direitos Humanos diga-se (CUIDAR do ÂNUS de GAY e LIBERDADE aos BANDIDOS)… sinto vergonha de um dia ter votado e m partidos de esquerda…

  6. 81 Revoltado 02/02/2015 9:58

    Mas como o povo brazileiro só quer saber de futebol, cerveja, carnaval e bolsa família, vamos viver nesse privada chamada Brazil por muitos e muitos anos.

  7. 80 HONORIO 02/02/2015 10:08

    É necessário que haja um equilíbrio no Congresso, a fim de criar possibilidades para atender a demanda dos interesses sociais. Equilíbrio esse, não necessariamente vinculado ao quantitativo de parlamentares simpáticos ou opositores ao governo; mas oriundo de pessoas esclarecidas e comprometidas com o real interesse e necessidade da nação, honrando os votos recebidos dos eleitores. Parlamentares desprovidos de vaidades ou interesses pessoais; ou ainda, interesses de pequenos grupos; mas com os interesses da nação num todo. Preservando os bons costumes, a tradição das famílias brasileiras; e a soberania e dignidade desse país chamado Brasil. Todos já elencadas e contemplados na atual constituição Federal. Não precisamos inventar nada; apenas observar, cumprir e fazer cumprir o direito e os deveres de cada cidadão brasileiro e da pátria num todo.

    • Otacilio Coelho Pires 02/02/2015 11:07

      Parabéns pelo comantário mais equilibrado que já tive o prazer de ler.Infelizmente a maioria dos nossos políticos só pensam no bem-estar próprio e dos grupos que o apoiam na eleição.Porque o Congresso não se reune e procura uma solução para os maiores males que o Brasil enfrenta atualmente? A saúde; a segurança pública; a educação etc…Depois eles poderiam tratar de suas benesses e o Brasil passaria a ser um País respeitado.Porque a Dona Dilma não reduz drastricamente, o número de Ministérios? TRINTA E NOVE? Parece muito com ALÍ BABÁ E OS QUARENTA LADRÕES! Acorda Brasil!!!???

  8. 79 Brasileiro Patriota 02/02/2015 10:30

    “Pauta retrógrada”… leia-se: tentativa conservadora de impedir a DESCONSTRUÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA… “direitos humanos”… leia-se: pauta dos desconstrutivistas para tornar a sociedade brasileira ainda mais refém do medo e da bandidagem… eu só gostaria de saber por qual motivo a imprensa nacional é tão voltada a conduzir a sociedade brasileira para o abismo cultural… CONTROLE ???…

  9. 78 LUIZ CALABREZA 02/02/2015 10:37

    TODO O INFERNO PARA ELA…QUE ELA MERECE…

    • Odair 02/02/2015 12:05

      concordo

  10. 77 Oltenir 02/02/2015 10:38

    Solução o povo nas ruas exigindo dos seus representantes as promessas de campanha,

  11. 76 Luis Aguiar 02/02/2015 10:51

    Que tristeza, que palhaçada, pobre povo brasileiro que tem que sustentar essa cambada, é obrigado a votar, tenho vergonha de viver neste País que de faz de conta que é País, tudo embromação, nossa lei maior(constituição não é cumprida) imagine as outras, enfim é uma máfia que controla o País. Se fôsse um País sério já teria caído todo mundo, não temos leis, não temos legislativo, nem judiciário, nem executivo, nada! Socorro!

  12. 75 antonio farias 02/02/2015 10:59

    Essa cambada é mesmo cara de pau!!!!
    Para votar temas importantes e urgentes para o povo nunca tem quorum nem interesse político…
    Para lotear e dividir o dinheiro do povo (meter a mão) “trabalham” até no domingo.
    |O brasil está realmente falido e o povo fu….!! É de fazer vergonha!!!!

  13. 74 Francisco Bulcão da Silva 02/02/2015 11:07

    Brasileiro só presta
    levando fumo
    essa é a verdade.

  14. 73 arlindo Amaro dos santos 02/02/2015 11:34

    O povo brasileiro precisa de um sacode, para entender que precisamos participar mais da politica dos governantes – precisamos aprender fazer alternância de poderes a 4anos – não podermos deixar que a maquina publica sirva de emprego para poucos que tem o poder do dinheiro e quem tem dinheiro tem poder e o poder impera no mandatário a austeridade de aparências honestas – precisamos de educação de qualidade – não é a Bolsa família que nos dará a dignidade de sermos um pais que ora esta dentro do G7 no mundo – Hoje estamos passando por uma grande crise hídrica graças a permanecia de governo , que sempre jura em dizer a verdade e fazer cumprir a CF. é o povo acredita. Não e verdade… e verdade sim.

  15. 72 José Augusto 02/02/2015 11:35

    Quem diz que é oposição, está na realidade fazendo teatro, nunca foi tão bom para os conservadores.

  16. 71 REVOLTADO 02/02/2015 11:56

    POR ISSO SOU A FAVOR DE PENA DE MORTE NO BRASIL, ESSES POLÍTICOS ROUBAM MILHÕES DE BRASILEIROS, TEM PESSOAL MORRENDO NA FILA DOS HOSPITAIS PESSOAL COM DOENÇAS GRAVES MORRENDO SEM MEDICAMENTOS, E MEIA DÚZIAS DE PESSOAL ROUBANDO NA CASA DURA NOSSA E INFELIZMENTE NÃO PODEMOS FAZER NADA,

    TINHA QUE TER PENA DE MORTE PARA ESSES POLÍTICOS CORRUPTOS….

  17. 70 Walter Damasceno Oliveira 02/02/2015 12:10

    Na relação dos partidos onde Dilma tem vantagem numérica na Câmara, o PT foi contabilizado duas vezes 65 e33. Vamos subtrair corrigindo o erro. Fora Dilma!………………..

  18. 69 Moisés 02/02/2015 12:11

    Pronto,vai começar a queda de braço, o jogo de interesses, e o povo cada vez mais ficando para trás, estamos perdidos, politicos que são eleitos pelo povo e em troca formam verdadeiras quadrilhas dentro do congresso e passam a cuidar de seus problemas pessoais, de interesses não do país mais de seus partidos, no Brasil não há patriotismo, ninguém se elege por seus país, mais sim pelo titulo, pelo poder, pelo enriquecimento, pelo luxo, no mais estamos perdidos, a mercê da violência desenfreada neste país, da corrupção, e de tudo de ruim que um ser humano possa passar.

  19. 68 Carlos Augusto Sampaio 02/02/2015 12:31

    Atrasado no campo dos Direitos Humanos? A que Direitos Humanos estes imbecis se referem?
    Queremos direitos humanos para os pais de família que trabalham e são assaltados e assassinados diariamente, não direitos humanos para bandidos, é isso que essa esquerda ridícula quer e sempre quis, vide a horrorosa Maria Rosário ( isso é ser progressista?) vamos rir que é o melhor remédio.

  20. 67 Marcos Antonio Garcia Galindo 02/02/2015 12:40

    E quando for aberta a caixa preta do BNDES, Caixa, Banco do Brasil, Eletrobras e etc e tal. O escândalo do mensalão e da Petrobras vai ficar que nem troco de pinga…….kkkkkkkkkkk…….Fora PTerrutos e Cia.

  21. 66 cleide 02/02/2015 12:51

    Só gostaria que os parlamentares sérios, aparecessem, porque eles existem. Não dá para generalizar e achar que todo mundo é igual ao Renan Calheiros que pensa no poder pelo poder,( para esses o fogo do inferno ainda é pouco) quem vota, como eu com consciência não pode ficar alheio ao que os congressistas fazem, é preciso cobrar aos nossos eleitos.Só assim as coisas vão mudar.

  22. 65 Carlos Serrulho 02/02/2015 13:03

    Táva na Hora
    refazer a refotrma ministerial
    reduzindo o totaldeministerios
    para 20
    agradecendo e dispensando
    os ministros de partidos
    CUNHISTAS e independentes da base governista

  23. 64 Dr. ADAUTO DA ROSA FARIA 02/02/2015 13:40

    Eu, adv. tec. construção civil, tec. imob.. Ex vereador 1972 a 1982, Presidente da Casa de Leis (2anos). Sou filiado no PMDB, votei e trabalhei p\ DILMA. O motivo deste comentário , é referente à verba destinadas às Câmaras municipais. ou seja: a parte participativa do Legislativo no orçamente anual, pode ser até 7%. Isto é um absurdo, pois 1% do orçamento é muito. É isso e ¨O POVO QUER SABER¨.

  24. 63 jorge 02/02/2015 13:53

    Vamos nos unir e irmos pras ruas esse é o momento , chega de falar muito e agir pouco, vamos parar essa por… de país agora a hora é essa chega de corrupção, o povo não aguenta mais tanto descaso do poder publico.

  25. 62 Marcos Trajano 02/02/2015 13:54

    O povo não pode reclamar de forma alguma, quem elegeu esses abutres? Quem?

  26. 61 RONALDO TONIAL 02/02/2015 14:06

    COMGRESSO E SENADO UMA PENA NAO CUNSEGUIR RESUCITAR BIM LADEM

  27. 60 alisson 02/02/2015 14:55

    Muitas pessoas culpam PT por tudo isso, mais na moral enquanto não mudarem a constituição e fizerem uma lei para que os políticos tenham medo e que façam eles realmente fazer o que tem que ser feito, Não adianta PT, PSDB, PMDB e outros. pois sabemos que todos eles vão continuar com essa palhaçada que hoje o Brasil vive. Pois não há impunidade para políticos. devemos lutar pelo nossos direitos para que haja severidade para políticos que sejam corruptos. porque quem tiver esperando que os próprios políticos façam isso por conta própria, sem manifestações do povo vai quebrar a cara e continuar vivendo nessa farsa que estamos vivendo.

  28. 59 Onofre paulo 02/02/2015 15:04

    A solução infelismente; é voltar o regime militar. De ladrões para ladrões ainda acho melhor assim

  29. 58 Reinaldo Soares 02/02/2015 15:54

    INFELIZMENTE O PACOTE DE MALDADE ANUCIADO PELA SR. DILMA QUE PUNE O TRABALHADOR E PENSIONISTA , A MEDIA PROVISÓRIA JÁ ESTÁ EM VIGOR PORÉM CREIO QUE NÃO SERÁ FACIL ELA CONSERGUIR APOIO NO CONGRESSO PARA APROVA ESSES PACOTE DE MALDADE QUE SÓ PREJUDICA O POVO, POSSO DIZER QUE ISSO É UM VERDADEIRO RETROCESSO OS DIREITOS DO TRABLHADOR.

  30. 57 sergio leite 02/02/2015 16:29

    O fisiologismo de nossos deputados e senadores está implícito quando analisamos o nosso sistema eleitoral (ou melhor, eleitoreiro) em que se vota em um candidato de um partido para o Executivo e vota em um candidato de outro partido para o Congresso, resultando nas coligações espúrias. Para piorar, mostrando como os deputados e senadores só se preocupam com as suas mordomias e pelas roubalheiras, membros das chamada “base aliada” vota em que promete mais. Vá dormir com um barulho desses. E a culpa é somente da Presidenta????? Pesquisem o passado Collorista do Cunha. É estarrecedor. Poupem-me….

  31. 56 joao 02/02/2015 17:14

    esse pais é uma palhaçada tiririca na presidência já!!!

  32. 55 joao 02/02/2015 17:20

    Iptima pra Dilma tiririca na presidência já!!! kkkk

  33. 54 Rubuia Nezfas 02/02/2015 18:34

    Impeachment já para a dilmAzia.Fora dilmAzia.Fora luladrão e seus acéfalos malditos corruptos.

  34. 53 Warner Corrêa Munhê 02/02/2015 18:52

    Vários comentários aqui pedem o povo nas ruas. Para quê? No ano passado houveram manifestações gigantescas e no quê deu? Elegeram os mesmos corruptos de sempre. Brasileiro tem mais é que se ferrar, mesmo.

  35. 52 douglas 02/02/2015 23:23

    Se com esse presidente da câmara começar a travar o Pais a Dilma deve usar de seu direito constitucional e fechar o congresso.

    • Brasileiro Patriota 03/02/2015 17:02

      Amigo, vc acaso já leu a nossa Constituição ???… pelo jeito NÃO… mas vc me parece mais um contratado para emitir falsas premissas do que um cidadão que quer o melhor para esse país… TENHO NOJO DE GENTE VENDIDA E APÁTRIDA…

  36. 51 Daniel 03/02/2015 1:58

    Dilma caminha para a queda, seu governo está se tornando insustentável logo no inicio. O povo ainda não sentiu os duros golpes do aumento na energia, na água, nos juros, na gasolina, nos eletrodomésticos e carros, na carne e no leite. O desemprego também está a caminho, chega até final de março com certeza, aliás se continuar sem chover chega antes! é esse o quadro que se pinta para a nossa presidenta, dif´cil acreditar que passe deste ano.

Os comentários do texto estão encerrados.